Reciclagem do plástico e consciência são fundamentais

16 JUL 19


O plástico muitas vezes é apontando como o maior vilão dos problemas ambientais observados no mundo. Imagens de animais marinhos, mamíferos e pássaros com estômagos repletos de pedaços do material, bem como rios poluídos com garrafas pet boiando viralizam evidenciando um lado negativo do material. Seria o plástico o verdadeiro vilão do meio ambiente?

Material pertencente ao grupo dos polímeros, o plástico foi responsável por grandes avanços na história da humanidade. A matéria-prima categorizada em muitos tipos, desde os finos aos mais rígidos, está presente em uma infinidade de produtos e materiais com os quais interagimos no dia a dia.

Foram séculos de pesquisas, descobertas e invenções que viabilizaram o desenvolvimento de soluções nos mais diversos setores. Na área médica, o plástico está presente nos utensílios descartáveis que aumentaram a segurança de profissionais da saúde e pacientes. Em transportes, do interior das sofisticadas cabines de aviões ao interior dos veículos com os quais trafegamos pelas cidades. A matéria-prima também está presente em utensílios de lazer, na moda, na decoração...

Embora a associação entre plástico e meio ambiente possa parecer negativa num primeiro momento, é importante salientar que o plástico substituiu o abate de animais cujo couro era utilizado como matéria-prima para criação de produtos como roupas, bolsas e sapatos. Além disto, árvores deixaram de ser derrubadas para a fabricação de papel (canudinhos), de móveis e utensílios domésticos.

O desenvolvimento de soluções para desafios cotidianos, economia e praticidade oferecidos pelo plástico são inquestionáveis para o avanço da sociedade. Por outro lado, falta de consciência, consumo excessivo e descarte inadequado podem ser apontados como os verdadeiros vilões da degradação ambiental relacionada ao material.

Vale ressaltar que a poluição ambiental não deve ser tão-somente creditada ao uso inadequado do plástico. Consumo excessivo de energia, desperdício de água, descarte inadequado de papel, metais e vidros também agravam os danos ambientais.

Na Praticpack acreditamos que a poluição está mais relacionada ao uso inadequado e falta de conscientização ecológica que às matérias-primas. O plástico, assim como outros materiais, pode ser remodelado, reaproveitado, reciclado e se devidamente aditivado, torna-se biodegradavel. Após o uso, separe os materiais e faça a destinação correta. O meio ambiente agradece!

Voltar